Seus bloqueios te assombram?

A lista de tarefas está ali: linda, completinha e cheia de anotações. Os boletos bancários parecem te olhar e você não para de pensar: como eles “se” pagam mesmo?

Entre um café e outro, os insights chegam a sua cabeça. Mas… lá vem o pensamento cruel: como eu vou pagar as contas?

O mal do século, já diz August Cury, está te assombrando. Ansiedade. Sei que você sabe do que eu estou falando. Pelo menos, uma vez na sua vida você já deve ter sentido a tal ansiedade.

Quando fui paralisada por ela, fiquei sufocada e sem ação, é claro. De repente, me dei conta de que isso não ia resolver nenhum dos meus problemas. Disse basta (mesmo que baixinho), tomei as rédeas da minha mente (com muito esforço) e usei ferramentas para virar o jogo. E é sobre isso que quero falar com você.

Preparado?

O segredo é mudar um hábito. Basta você substituir um por outro. Lindo, né? Ah! Se essa frase pudesse ser colocada em prática tão rápido quanto você a leu, estaríamos salvos.

Me conta uma coisa: o quanto você está farto de sentir ansiedade? Se o cansaço for grande, se você chegou no fim do túnel, se não aguenta mais, tenho uma ótima notícia para lhe dar: a solução está perto. E, aqui vem o pulo do gato: use o seu cansaço como força para implementar um novo hábito.

Case Monowi

Percebi que eu tinha um hábito péssimo de procrastinar.

Lembra da listinha de tarefas que escrevi no começo deste artigo? Pois é! Eu fazia item por item com total foco, sabendo o que cada um iria me trazer. Porém, na hora de executar, a tarefa de descobrir se em Monowi (nos EUA) existe mesmo só um habitante era mais importante do que realizar meus objetivos. Tá vendo o absurdo? Isso chama-se autossabotagem.

”Eu vou sabotar, você vai se azarar”, já dizia Cássia Eller. Você JUROU de pé junto que não iria mais deixar suas tarefas para depois, comer porcaria, ficar com preguiça no sofá, gastar a mais no cartão de crédito, parcelar compras de coisas que você nem precisa, mas de repente, lá está você (ou eu) de novo. Sabe como isso se chama? Sabotagem. E 98% dos seres habitantes desse planeta faz ou já fez autossabotagem.

A ansiedade pode ser a grande vilã

As desculpas são ótimas: fiquei lendo tal texto, minha melhor amiga ligou e perdi a hora, resolvi redecorar o apartamento pra mudar a energia, vou assistir mais um episódio para relaxar. Bem, quem determina a prioridade é vo-cê. E a verdade, por mais que doa (e doi), é que você chegou a este ponto por decisão própria e, agora, precisa partir para a reação.

Dê um sonoro B A S T A

Sempre fui a caçadora de “hacks” para produtividade: aplicativos, listas, planilhas, post-its e até fitinha no dedo. Mas chegou uma hora que nada disso funcionou mais. Era hora de investigar o que estava provocando a minha paralisia. No fundo, eu precisava ME conhecer. Como eu havia chegado no limite do limite era isso ou nada.

Escolhi virar a mesa. Na coluna da semana que vem, vou contar sobre o crush que mudou a minha cabeça, rotina, vida. Nos vemos lá?

por Tháfila Araújo

Tháfila Araújo – Relações Públicas, estrategista de dados, viciada em tecnologia e apaixonada por aprender. Seu propósito é transformar pessoas por meio do empreendedorismo, aprendizagem e criatividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *