Buenos Aires: Legado Mitico

Calle Gurruchagas con Costa Rica, você explica para o motorista de táxi. O carro deixa as grandes avenidas da capital portenha e entra no coração do bairro de Palermo Viejo. Pela janelinha é possível ver o prédio pequeno, de dois andares, com uma porta negra, destas antigas. Há uma campanhia. Logo é aberta a porta do hotel Legado Mitico, um nome composto e suntuoso que acomoda apenas 11 habitações.

O encanto é imediato. Uma copa de vinho é oferecida durante o check in. O living fica ao lado, onde acontece o café da manhã, deixe-se afundar em um dos sofás e fique a bebericar seu tinto enquanto os olhos são hipnotizados pela grande prateleira de madeira escura que ocupa cada centímetro da parede. Chegando mais perto observe os livros e objetos que explicam o nome do hotel que é inspirado em heróis e personalidades argentinas. Eva Perón, Che Guevara, Carlos Gardel, Mafalda entraram para o hall.

Das prateleiras as memórias sobem para os quartos. No quarto “O Libertador” o banheiro é um luxo, a pia fica em cima de um móvel de época. Na parede dois lampiões estão em cima de pequenas prateleiras e dentro deles há velinhas. Este é um hotel de detalhes. Mescla o moderno com o clássico. Investe no conforto, tem jeito de casa.

O café da manhã merece entrar para os autos. Em bachelas de prata estão os ovos mexidos e cogumelos refogados. Media lunas, empanadas, pães caseiros, queijos são repostos a todo instante. O acabamento do sache dos chás, de mix de ervas, com bolinhas é um mimo. Quem se apaixonar pode comprar um caixa deles na recepção.

Vale passar o dia zanzando pelas ruas de Palermo, repleto de lojas de roupas, decoração, chás, papelaria e vinhos. Este miolo de Palermo é feito de casas da década de cinquenta onde se instalaram restaurantes da moda em meio a ruas arborizadas. Soho em Nova York? Sim, você, fatalmente fará esta comparação. Palermo é um pedacinho latino da big Apple.

Dica da Cris: reserve um final de tarde para curtir “a dois” o pequeno jardim na área externa, ele tem sofazinhos e um lindo paisagismo. Peça um tinto e deixe as horas correrem livremente… a poucos metros, em todas as direções, há uma gama incrível de bons restaurantes. Depois peça uma dica para o concierge e jante num cantinho simpático.

Buenos Aires: Hotel Moreno

O Hotel Moreno, em Buenos Aires, parece um daqueles lugares achados. Eu explico: ele fica no bairro de San Telmo, que não tem tradicão em hotelaria. Lá você vai encontrar a feirinha de antiguidades mais famosa da cidade, noite boêmia, antiquários, museus e para por aí. Isso é o mais bacana. Ele está num lugar despretensioso e super central, a Plaza de Maio é vizinha (150 metros), o cais de Puerto Madero fica há algumas quadras (se pode ir caminhando), ele se localiza entre Palermo e La Boca (dois bairros mais distantes). Bem, já dá para imaginar que sua entrada não tem a mínima cara de hotel, a que se procurar pelo número. No passado ali se estabeleceu uma editora de livros. Um belo dia se tornou um hotel boutique com 39 apartamentos. Logo ao entrar observe os azulejos (nas paredes e piso) que foram preservados, na escada entre os andares veja os vitrais, todos originais, o trabalho de conservação foi mesmo de tirar o chapéu. E o elevador sanfona? Dá um clima super retrô. Os quartos são enormes, com o pé direito alto, cleans, com móveis de arte déco, TV LCD, tudo para agradar gostos mais elaborados e que procuram uma alternativa para fugir das grandes cadeias de hotel. A única dica é pedir pelos quartos nos andares mais altos porque nos baixos o trânsito da rua pode incomodar o sono, as horas de namoro. A cereja do bolo, neste caso, está literalmente no topo, no terraço do prédio há um espaço para relaxar, tomar café da manhã, fazer um happy, curtir momentos a dois, e isso vale para dias de calor e de frio, imagina que há uma lareira ao ar livre? Não é demais? Aquece qualquer romance! Isso sem falar que dá para espiar a Basílica de São Francisco, os telhados vizinhos, ver a arquitetura antiga que marca as ruas, o estilo, a personalidade da capital portenha. Quem curte andar de metrô tem uma estação bem pertinho, se bem que em Buenos Aires, os táxis são bem razoáveis e rendem bons papos com os motoristas, mas a dica mesmo é ficar pelas bandas de San Telmo, desacelerar, deixar os outros bairros para uma próxima ocasião e ficar por ali a andar de mãos dadas e curtir a alma de Buenos Aires, seu passado bem preservado.

Buenos Aires, Faena.

Buenos Aires, Faena.

Bem, o Faena é um mundo à parte dentro de Buenos Aires, na Argentina. Ele fica no bairro de Puerto Madero, uma parte da cidade mais moderna, aos pés do cais do porto, que foi transformado em um endereço comercial com uma bela gama de entretenimento para os visitantes: são lojas, cafés, restaurantes e casas noturnas que se estendem pelas docas. Grandes empreendimentos imobiliários são construídos na região constantemente. Este é o endereço IN da capital portenha e o Faena é bastante responsável por este movimento. Ele é projeto de Alan Faena, excêntrico e perfeccionista. Quem assinou a decoração, nada discreta do hotel, foi o queridinho do design de interiores, o francês Philippe Starck. De cara se vê muitas cortinas de veludo que vão do teto (com pé direito super alto) até o chão e uma abundância de espelhos. O vermelho desponta e o branco quebra. O nome certinho é Faena Hotel + Universe, ele é mesmo auto-suficiente. Espia só: são três propostas de gastronomia, El Mercado (rústico e despojado onde é servido o café da manhã), Library Lounge (onde acontecem os happy hours embalados pelo piano de caldas e numa atmosfera despojada) e o El Bistro (todo branco com um tapete vermelho e unicórnios nas paredes). El Cabaret é o teatro particular do hotel que é super bacana e oferece espetáculos de tango fora do clichê. A piscina é outra delícia do hotel. No último andar está o spa, nada menos do que maravilhoso, perfeito para desfrutar com seu amor no final do dia, antes de voltar para o quarto e pensar se realmente vale a pena sair ou ficar entre o luxo descolado que mounsier Starck criou para o Faena. Quem não vive sem compras pode dar uma espiada na La Boutique e para os amantes de vinhos há o The Cellar, onde se pode agendar jantares, os hóspedes ganham mantinhas lindas com o F da marca, para driblar a baixa temperatura destes santuários. Dos quartos à vista para Puerto Madero é demais e o entardecer deixa o visual apetitoso. Ao lado da sua cama, uma camisinha vermelha embalada numa caixinha deixa claro o tom ousado do hotel.

Buenos Aires: Alvear Palace Hotel

Argentina, Buenos Aires: Alvear Palace Hotel

 Buenos Aires é uma cidade com estilo. Tem jeito de Velho Mundo e é a mais europeia das capitais latino-americanas. Seus moradores são elegantes e até parecem ter aquele típico ar antipático dos franceses. Mas nada disso importa, os brasileiros a adoram, principalmente nos meses de inverno, quando os casacos de couro, botas de cano alto, luvas e cachecóis ganham destaque no guarda roupa. Tudo fica mais glamouroso entre julho e agosto na América do Sul. Degustar um vinho nas noites frias, tomar um cappuccino em um dos tantos cafés que ganham as calçadas, fazer compras (quem resiste à moda porteña?), esbaldar-se com a cozinha argentina famosa pela qualidade da carne, dos alfajores e media lunas. São tantos bairros que nos seduzem… San Telmo com sua feirinha de artesanato que mais parece um museu a céu aberto com peças raras de colecionadores, La Boca com seu ar boêmio e o restaurante do chef  Francis Mallmann, o Patagonia Sur, Palermo (Viejo, Hollywood, Soho) com seus restaurantes, bares, casas noturnas e lojas superdescoladas e a Recoleta, chic e clássica. É nela que está o suntuoso hotel Alvear. Num prédio de esquina, dos anos 30, fica um dos endereços mais nobre da capital argentina. Basta entrar no hall para entender a magnitude do recinto: no lobby bar passam figuras importantes do cenário político, artistas de cinema, modelos famosas. Cada andar tem seu buttler que desfaz sua mala e fica ali à sua inteira disposição.  Os quartos são confortáveis, seguem o modelo luxuoso do restante do hotel, as amenidades são da marca francesa Hermés. Na parede do banheiro, em cima da banheira uma televisão LCD. De repente vai dando uma vontade de ficar dentro dessas quatro paredes só para aproveitar a mordomia, o luxo.

O café da manhã é uma experiência à parte. Você precisa de alguns dias para conseguir provar todos os quitutes. Repare que os garçons atendem com luvas brancas. E trate de encontrar um tempinho para conhecer o spa com produtos La Prairie.

 Para saber mais: www.alvearpalace.com