Mendoza, Hyatt

Mendoza, Hyatt

Mendoza é a capital do vinho na Argentina. Que belo titulo, não? Esta cidade com predominância de prédios baixos, cheia de praças, arborizada, extensa em largura, quadras simétricas tem a Cordilheira dos Andes majestosa no horizonte, bem pertinho de si, quando neva ela fica uma pintura, linda, linda. Imagine que isso é apenas um dos seus predicados, o que dizer dos vinhedos, das vinícolas que já somam mil? Mendoza é conhecida por ser um vale produtor de vinhos finos, o mais importante do país, de lá saem grandes rótulos, grandes incentivadores de momentos para celebrar a dois. É verdade que o maior atrativo fica por conta da visita às bodegas e cá entre nós: que bela forma de passar os dias, degustando vinhos, aprimorando o paladar, descobrindo novos rótulos, trazendo garrafas para casa e aprendendo sobre a cultura e história das famílias que chegaram ao vale como imigrantes vindos de uma Europa pobre, buscando a sorte e dias melhores no Novo Mundo, a benção de encontrar uma terra fértil, boa para uvas. E no meio deste clima se descobre a vida gastronômica de Mendoza, afinal, onde há bons vinhos, tem que se ter uma mesa farta. Perto dela está o Aconcágua, a montanha que atrai intrépidos esportistas que buscam chegar no seu topo, a estrada que liga a cidade aos pés da montanha é deslumbrante, cheia de curvas que rasgam morros de cor avermelhada que acompanham o rio Mendoza. Nela há um Hyatt, bem na frente da praça Independência, sua fachada é da época dos espanhóis, do século XIX, homens de preto vestidos impecavelmente abrem as portas com toda a pompa e cerimônia. O hotel como se há de esperar oferece mais de um restaurante, winebar, spa, serviço 24 horas e surpreende com quartos bem decorados, modernos e super confortáveis, destes que chamam para ficar mais um tempinho na cama antes de se levantar e começar a deliciosa rotina que se estabelece entre bodegas e restaurantes – um destino, sem dúvida, para curtir os prazeres orais.