Santa Catarina: Quinta das Videiras

A ilha de Florianópolis nos faz mesmo suspirar. À caminho das praias do leste você pega a estrada que serpenteia morro a cima, quando chega no topo, se vê na deliciosa obrigação de dar uma paradinha. Do mirante a lagoa da Conceição se descortina, toma conta do horizonte, seus olhos brilham. Ela passa pela avenida das Rendeiras, onde há toalhas e roupas bordadas a mão, e costeia as dunas brancas, local prefeito para brincar em cima de uma prancha de snowboard.

Inspirado por este cenário a descida vem acompanhada de uma curiosidade fugaz que clama por mais beleza, por sentir o sabor do vento, colocar o pé na areia, mergulhar, sentir-se vivo, deixar o calor tomar conta do seu corpo (nos meses de verão, é claro, o inverno é bem rigoroso).

Pela avenida das Rendeiras estão uma dezena de restaurantes onde a especialidade é peixes e frutos do mar, com o diferencial: sempre chegam bem fresquinhos e, por isso mesmo, mais saborosos. À esquerda na lagoa velas e mais velas de kyte e windsurf fazem piruetas no ar, um espetáculo bonito de ver!

Seguindo a diante você vai encontrar as praias de Joaquina, famosa pelo surf, da Mole, cheia de gente bonita, ondas fortes e praia de nudismo ao lado (Galheta), a Barra da Lagoa, mais tranquila e frequentada por famílias e “tribos alternativas” e Moçambique com acesso por uma estrada de terra em meio a um bosque de eucaliptos e apreciada por surfistas pela boa formação das ondas.

No meio do centrinho da Lagoa, numa rua calminha, está a pousada Quinta das Videiras, supergracinha, uma jóia rara. Sua arquitetura é fidedigna à portuguesa. A recepção fica junto a um colorido solarium, o SPA está ao lado da piscina e os quartos foram projetados na casa de dois andares, cada um leva o nome de uma uva. O Merlot é um loft com jacuzi na cobertura. Meu preferido, por ser romântico, é o Chardonnay que tem ofurô a passos da cama!

Dica da Cris: Depois de curtir um dia de praia (no verão ou inverno) reserve o SPA que fica numa salinha private, deixe apenas a luz da vela iluminar o ambiente, despeje sais no ofurô e relaxe escutando a música calminha, despeje água fria da jarra de prata de tempos em tempos e depois deite-se com seu amor na cama que fica ao lado.

Santa Catarina: Costão do Santinho

O Costão do Santinho é um resort, destes super grandes, com 750 mil m2 de Mata Atlântica preservada, 200 mil m2 de área construída e campo de golfe. Tudo vem no plural: piscinas, bares, restaurantes e 695 apartamentos divididos em 14 vilas acomodando até 1.900 pessoas.

Ele fica em frente a Praia do Santinho, vizinho do Morro das Aranhas, ao norte de Florianópolis. Em novembro de 2010 ganhou pela sexta vez consecutiva o prêmio de Melhor resort de Praia, dado pelos leitores da revista Viagem e Turismo. Fui lá conferir o que ele tem de tão bom e descobri o seguinte: ele é perfeito para famílias com crianças porque há uma equipe de recreação que vai até às 23 horas, ou seja, casais a fim de um jantarzinho romântico terão a prole supervisionada enquanto o clima de romance comanda a noite.

A localização é outro motivo para querer ficar, ele é quase pé na areia. Só não é mais pelo seu tamanho, dependendo onde for seu quarto terá que caminhar uns minutinhos para chegar na praia. Eu sugiro escolher pelos quartos da ala internacional e peça pelos com vista para o mar. Você vai dormir com a sensação de ter o mar ao seu lado, escutando o chuaaa gostoso das ondas quebrando nas pedras.

A piscina da parte internacional é a mais reservada, tem um deque de madeira com espreguiçadeiras, uma parte protegida com uma parede de vidro para os dias com muito vento, borda infinita e uma vista incrível do Santinho. Não toca música alta nem tem aula de dança. O que eu, particularmente, acho um alento. Se você for da “praia dos mais sossegados” fique definitivamente nela.

O Rancho do Peixe é o bar à beira-mar, com mesinhas e um pequeno deque  de madeira. Ele serve camarão, ostras, lulas super fresquinhas e deliciosas (provadas e aprovadas, viu?). A praia fica a apenas alguns passos, você não precisa se preocupar com cadeira e guarda sol, isso o resort oferece à você e instala.

Dicas da Cris: durante o inverno, de julho a setembro, as Baleias Francas dão um verdadeiro espetáculo no litoral catarinense e podem ser vistas da beira da praia. No verão a ilha fica difícil de se locomover devido o trânsito caótico, o bom do Santinho é que você tem tudo ali e não precisa pensar no constrangimento de ficar horas dentro de um carro na volta da praia.

Santa Catarina: Refúgio Ecológico Pedra Afiada

Santa Catarina, Refúgio Ecológico Pedra Afiada, aventura

Os cânions do sul do Brasil vistos da base são ainda mais imponentes. Eles ficam entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A parte de baixo faz parte do Estado catarinense. Somos um pontinho minúsculo diante da imensidão da mata nativa, dos paredões de 1.500 metros de altitude. Os cheiros, sons, a proximidade com a natureza nos deixam silenciosos, em estado de meditação.

Aos pés do grande cânion foi projetado o Refúgio Ecológico Pedra Afiada, o REPA, ele começou no casarão de cor vermelha onde oferece habitações simples com um banho quente, calefação e sacadinha. Com o passar do tempo algumas cabanas foram sendo construídas, já mais requintadas, para acomodar famílias ou um grupo maior de amigos. Para os casais “love is in the air” acabou de ficar pronta a cabana lua de mel com direito a jacuzzi e lareira.

Na sala com pé direito alto há uma lareira, sofás, muro de escalagem e o espaço reservado para o restaurante. O café da manhã e o jantar são servido em forma de buffet com comidinha caseira. Durante o dia há um cardápio a la carte. Não há outros restaurantes perto do Refúgio.

A noite é a hora de definir as atividades do dia seguinte, se pode escolher entre caminhadas por baixo dos cânions (Malacara ou Itaimbezinho), rappel, tirolesa, bóia-cross e passeios de quadricíclos. Qualquer atividade deve acontecer junto dos guias do REPA. Este é o grande diferencial da pousada: se empenhar na qualidade dos passeios. O amor pela natureza, e em especial por aquele ecossistema, se pode observar na equipe bem treinada formada por guias jovens, experientes e comprometidos.

Dica da Cris: No final da trilha da Cachoeira da Onça (20 minutos de caminhada), tem uma queda d’água que nos dias de chuva fica intensa, passe por detrás dela, a sensação é revigorante, você vai ficar totalmente encharcado apenas com as gotículas formada pela força d’água. Depois acabe o dia admirando o cânion Malacara, sentadinho numa das cadeiras de madeira que ficam no jardim, bem agarradinho a seu amor.

www.pedraafiada.com.br

Para os casais “love is in the air” acabou de ficar pronta a cabana lua de mel.

Santa Catarina: Pousada da Vigia

A pousada da Vigia fica no extremo norte da ilha de Florianópolis, sul do Brasil, cerca de 50 minutos do aeroporto Hercílio Luz. Ela foi projetada na antiga casa de veraneio do governador Celso Ramos. Em 1994 foi comprada pela família Perna, do Rio Grande do Sul, e desde então recebe visitantes nos seus dez apartamentos e duas suítes.

O que eu considero seu ponto altíssimo é o barulhinho do mar que se pode escutar dos apartamentos que tem sacada com vista para a praia, ela fica em cima das pedras. Em nenhum outro lugar eu escutei o som das ondas quebrando na encosta de forma tão forte, parece musiquinha de ninar aquele constante “chuaaa”. A sensação é de estarmos dentro do oceano.

Os apartamentos são simples. As duas suítes têem cobertura e jacuzi privativa. A sala da pousada tem um clima praiano, sofás coloridos, teto branco em V, uma prateleira com livros e filmes em DVD e uma boa seleção musical que toca constantemente.

De maio a julho acontece a Pesca da Tainha, o mar se enche de barquinhos, os pontos de vigia (daí vem o nome da pousada) são marcados pelos pescadores que ficam atentos aos cardumes e comunicam uns aos outros com sinais e apitos.

A praia da Lagoinha é de águas calmas, areia bem clarinha, com poucas casinhas rústicas de madeira do tipo “pé na areia”, no verão transformadas em bares, e alguns condomínios residenciais. Ela é uma praia familiar. No verão lota de turistas, no inverno é tranqüila, quase deserta.

Dica da Cris: assista o pôr do sol de dentro da jacuzi que fica no deque ao ar livre. Sugestão que vale para qualquer época do ano, pois ela pode ser aquecida até 37 graus, nenhum frio atrapalha. No cardápio do bar da piscina tem cerveja artesanal Eisenbahn e camarões flambados. Jante no bistrô que fica numa varanda com vista para o mar, mas chegue cedo, a hora que ele fica mais romântico e convidativo é no entardecer. As velinhas de cada mesa são acesas e o azul do crepúsculo é lindo. Você assiste a mudança da cor do céu de camarote, num total clima Love is in the air.

Santa Catarina: Ponta da Piteira

Brasil, Praia de Ibiraquera, SC, praia/charme

Em Santa Catarina, na praia de Ibiraquera, cerca de uma hora e meia de Florianópolis ao sul, está a Hospedaria Ponta da Piteira, um lugar para chegar e ficar em estado de contemplação. A vista é tão hipnotizante que é difícil desviar o olhar.  A composição que une lagoa, o mar, as montanhas e jerivás é harmônica e transmite uma deliciosa sensação de paz. De onde você estiver, seu olhar vai buscar por esta idílica paisagem. Ela é um imã.

Da cama do seu quarto você poderá contemplar as estrelas, da jacuzi com vista para o mar, da varanda privativa da sua suíte, da piscina aquecida com raia de natação, do deque, da Casa de Estar, do Bistrô, de qualquer cantinho a natureza se fará presente. Junto dela o charme, mimos, cuidados e pequenos luxos compõem a proposta desta hospedaria de ser um refúgio para casais em clima de romance e total paixão.

Tudo é projetado para dois. São apenas três suítes, super espaçosas, com mais duas à caminho. A exclusividade é ordem suprema da casa. A privacidade visual é total. Um lugar para amar sem reservas.

Os detalhes podem ser vistos no delicado café da manhã, servido em forma de finger foods, mini quiches, crepes lorraine, trouxinhas de queijo brie, bolinhos, Nescau batido, sucos naturais com direito a um forninho elétrico para cada mesa. Durante quatro dias o menu é mudado e o que vai ser servido no dia seguinte é decidido na noite anterior. Da horta vêem os verdes, legumes e frutas.

A construção foi feita com móveis de demolição e pedras gres. Na decoração estão objetos queridos e simples, o clima é despojado, nos faz sentir à vontade, o conforto é marcante.

Pelas redondezas há um dos lugares mais procurados para a prática de esportes náuticos, a praia de Ibiraquera e da Luz são perfeitas para o kite e Wind surf devido a corrente de ventos. Dunas e praias com areias claras completam o visual. Passeios de caiaque pela lagoa são outra bela opção para curtir dias de relax.

Dica da Cris: durma com as cortinas abertas, no meio da noite espie as estrelas, amanheça com a luz do nascer do sol e deslumbre-se diante de um cenário nada menos do que fascinante. Namore, namore, muito!

Serra do Rio do Rastro – Rio do Rastro Eco Resort 

Serra do Rio do Rastro – Rio do Rastro Eco Resort 

Ele fica no topo do mundo, a 1.500 metros de altitude, no meio dos cânions catarinenses, acima da Serra do Rio do Rastro e leva o mesmo nome da estrada que serpenteia pelo antigo caminho do tropeiros. Você encontra um resort com 20 chalés. Foque nos com jacuzzi, ajuste o foco e peça pelo 18. Ele é o último, super privativo, onde tudo pode e deve acontecer. O ponto forte é a jacuzzi – generosa em tamanho – com vista para um dos dois lagos artificiais onde são criadas trutas. O tempo costuma passar arrastado. E quem tem pressa? Nos pés da cama,  adivinhe! Uma lareira, vá que neve? Este é um daqueles lugares em que o frio é super bem-vindo. Nas camas lençóis térmicos. Um varanda fechada com calefação convida a contemplação. No casarão há uma porção de atrativos: piscina térmica coberta, sauna seca e úmida, sala de leituras, mas nada disso bate a jacuzzi ao ar livre localizada no cantinho do deque. Ela aquece até 37 graus, haja o frio que houver a temperatura é perfeita e o contraste revigorante. No entardecer peça por um vinho da Villa Franccioni (vinícola a 100 KM dali) e contemple o céu alaranjado e as araucárias em silhuetas. Tem lua cheia? Perfeito. Agende o mais rápido possível uma cavalgada ao luar. Sábados à noite é dia de Galpão Criolo, vale a pena dar uma espiada, tem fogo de chão, churrasco e até baile. Uma verdadeira orgia gastronômica se apresenta entre o café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar! No cardápio comidinha serrana. Só posso aconselhar que muito exercício seja feito lá pelos lados do 18. E para contemplar a beleza dos paredões de granito que separam serra do litoral pegue um cavalo e saia a cavalgar. A sensação de liberdade é incrível.

Praia do Sonho, Ilha do Papagaio

Praia do Sonho, Ilha do Papagaio

A Ilha do Papagaio parece a Ilha da fantasia versão light e em território catarinense, Florianópolis está a 40 quilômetros. Ela não tem aquele tamanho megalomaníaco, mas tem toda a cerimonia da chegada, o carro estaciona na Praia do Sonho, de lá os visitantes pegam uma lancha numa travessia rápida de cinco minutos, do outro lado da margem Renato Sehn (proprietário) ou uma pessoa do clã vai lhe esperar para dar as boas vindas. Só falta mesmo o colar de flores – eles pulam esta parte – suas malas desaparecem e você só volta as encontrar em um dos vinte bangalôs que ficam espalhados pelos 142 mil metros quadrados (80% é mata Atlântica). Acontece então aquele tradicional reconhecimento de campo, uma caminhada pelo deque da piscina com vista para o mar (você mal pode esperar por colocar o biquine e se atirar em uma das espreguiçadeiras), dê uma espiada na mesa que fica embaixo da árvore (cogite um jantar à luz de velas, você, seu amor e as estrelas), siga por um passeio pela trilha (basta seguir as plaquinhas de madeira) que corta a mata e o leva para o topo da ilha, ao Mirante dos Náufragos, de onde se tem uma vista destas que a gente pede para ficar mais um pouquinho e esquece da vida. Ao descer você descobre o restaurante e a cozinha (aberta) onde Renato prepara seu famoso Marisco Lambe Lambe à Papagaio, perfeito para comer acompanhado da caipirinha de bergamota com gotinhas de limão e licor de laranja, a Loripira (criação especial da casa assinada pela dona Lori), bom saber que a pousada recebe ostras e mexilhões fresquinhos de uma Fazenda Marinha vizinha. Não há luxo e sim conforto e bangalôs charmosos com sacadinha, rede e todos os apetrechos básicos para ficar bem acomodado. Vale a pena marcar passeios de lancha pela redondeza, mergulhar de snorkel ou cilindro, e para os iniciados em esportes náuticos tem o esqui aquático e o wakeboard. Depois de agitar na ilha marque uma massagem, relaxe e desfrute de seu amor enquanto as marolas quebram na areia e você fica a suspirar e pensar como a vida pode ser boa.

Praia do Rosa, Solar Mirador

Praia do Rosa, Solar Mirador

A vista é incrível, são 180 graus que seus olhos percorrem de um lado ao outro, passam pela lagoa azul que desemboca num mar mais azul anida, vão para os morros cobertos de verde que ligam as praias vizinhas (Luz e Vermelha) à Praia do Rosa, na costa sul de Santa Catarina, e neste estado de transe você fica por alguns minutinhos. Você deixa o deque (com piscinas, tatamis, espreguiçadeiras) e desce uma escada de madeira, passa por um cactus e chega no nível dos bangalôs, daí você pensa: será que daqui a vista é a mesma? Sim, logo você se responde, quando a porta é aberta e os 180 graus seguem a lhe hipnotizar. Logo se percebe que a vista está em todos os lugares: no chuveiro, na sacada, na sauna seca, na academia, na sala de leitura, no café da manhã, pronto, não há mais nada a fazer a não ser se entregar, e neste clima de entrega, atire-se ao amor, aos momentos de pura paixão, agende um horário na jacuzzi ao ar livre (privativa onde tudo pode acontecer) ou escolha por um bangalô com jacuzzi no deque particular, acho mesmo que você deveria fazer os dois: relaxar na sua jacuzzi e na do spa. A regra é não ter limites. Uma vida facilmente se estabelece entre seu bangalô e o deque, entre jantares com lua cheia no restaurante Urucum (que fica dentro da pousada) e na sua sacada, nas massagens no gazebo e happy hours na beira da lagoa deitado em almofadões. Quando se cogitar ir à praia os mimos seguem você, uma canoa o transporta de um lado ao outro da lagoa, um atendente leva sua cadeira e guada sol. Se isso acostuma mal? Eu diria: um delicioso caminho sem volta. Mas só vale se você estiver bem acompanhado, amar é fundamental e cada cantinho e conforto foi projetado pela Suzaninha (a feliz proprietária da vista) pensando nos momentos a dois, ela viaja pelo mundo com o maridão, o Roberto, e depois oferece os deleites que encontra para os hóspedes. Bem a gente só agradece e estende a reserva por mais uma, duas noites.

Governador Celso Ramos, resort Ponta dos Ganchos

Santa Catarina, Governador Celso Ramos, resort Ponta dos Ganchos.

Em Governador Celso Ramos, 30 KM de Florianópolis, está um dos resorts mais luxuosos do país. A brincadeira é para gente grande. Estamos falando de um Relais Chateaux. Disposto a encarar um bangalô Especial Vila Esmeralda com 310 m2? Piscina particular em forma de raia? Adega própria? Sauna com vista para o mar? Tatumis para massagem e fitness center privado? Estas regalias fazem parte do mundo cinco estrelas Ponta dos Ganchos. Há também os bangalôs Esmeralda e os da Vila onde você vai encontrar todo luxo e conforto necessários para dizer “daqui eu não saio, daqui ninguém me tira”. Acompanhe: cama king size, lençóis de 600 fios egípcios, piscina com borda infinita, jacuzzi com hidromassagem, jardim particular, duas pias, dois chuveiros, dos banheiros e closet. Satisfeito? E há vida além do bangalô (se bem que nem precisava), o resort oferece prainha exclusiva para os hóspedes com areia branca e fofinha, águas quentes e claras, espreguiçadeiras e guarda sóis brancos, sem falar nos prestativos garçons que ficam a volta a lhe servir. A gastronomia é gourmet e assinada pelo chef Luis Salvajoli que valoriza os frutos do mar e as famosas ostras de Santa Catarina. E os encantos seguem pelas tendas de massagem entre as árvores e a ilhota para jantares particulares à luz de velas. Entre junho e agosto acontece o Ciclo dos Chefs onde grandes nomes da gastronomia brasileira e mundial seduzem o paladar dos hóspedes. O café da manhã não tem hora para acabar, ele vem acompanho da vista para a baía de Ganchos com aquele sem fim de barquinhos a sacolejar, é oferecido em forma de menu degustação, em pequenas porções, enquanto você lê o resumo do New York Times. Deu para entender o espírito? A qualquer momento do dia basta o telefone ser levantado que o seu pedido será atendido. Sem horários, sem regras. Os finais de tarde no Cantinho da Veleza são inesquecíveis, se imagine no topo do morro em chaise lounges embalado por uma musiquinha tranquila e com um cálice de champagne nas mãos. Tudo chique e no ponto. Seu número, não é?